Sobre Adriano Leilões



Em 1987 tive o meu primeiro emprego com carteira assinada como funcionário público da Prefeitura Municipal de Iguatama onde trabalhei algum tempo no terminal rodoviário tirando passagens e depois no escritório que fazia a contabilidade do mesmo terminal. Então com 17 anos, já era hora de começar a vida profissional. Algum tempo depois fui transferido para a IESA (Hoje IMA) que cuida do controle de sanidade animal em Minas Gerais e tive meu primeiro contato com o mundo dos leilões emitindo o que hoje conhecemos como GTA (Guia de Transito Animal). Nessa época conheci o pessoal da Elo Remates e me ofereci para trabalhar no escritório da empresa e em 01 de outubro de 1990 estava empregado. Hoje revendo minha pouco surrada carteira de trabalho observei que saí de um salário de CZ$1.200,00 (um mil e duzentos cruzados) do primeiro emprego para CR$9.637,71 (nove mil seiscentos e trinta e sete cruzeiros e setenta e um centavos)... Acho que se fizer a conversão vai dar a conta na mesma!



Já com alguma experiência em leilões e me formando em Técnico de laboratório de análises químicas resolvi em 1991 experimentar a vida de analista de laboratório I na Nestlé (por indicação de meu saudoso pai) onde fiquei até Fevereiro de 1993. E esta foi a última vez que tive uma folha de admissão da minha carteira de trabalho carimbada, Graças a DEUS! Neste mesmo período o pó dos currais de leilões já havia se entranhado nas minhas veias e com 21 anos de idade recém completados fui credenciado pela Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais em 09 de Dezembro de 1991. Como explicar uma pessoa credenciada leiloeiro se manter como funcionário de uma multinacional por mais de um ano? Simples, quando se está começando nessa profissão é preciso ganhar a confiança do mercado antes de se lançar de corpo e alma e foi o que eu fiz.